sábado, 29 de outubro de 2011

Pé plano, cavo, cavo supinado varo, abduto, aduto, equino, calcâneo, fascite plantar

PÉ PLANO: Perda parcial ou total da curvatura do pé. Causado pela hipotonia da musculatura flexora dos dedos (peroneiro lateral longo, flexor comum dos dedos, flexor próprio do quinto dedo). Segundo Platzer (1987), ele ocorre quando os músculos plantares curtos não funcionam, mas devemos considerar o que Viladot (2003) coloca, que em repouso estes músuclos apresentam silêncio absoluto ao exame de eletromiografia.

Como corrigir: fortalecer a musculatura acima citada.

Exercícios: andar no bordo externo dos pés, andar na ponta dos pés, elevação do corpo na ponta dos pés, puxar um pano com a ponta dos pés, andar na areia fofa da praia.




PÉ CAVO: Aumento da curvatura plantar do pé, causado pela hipertrofia dos músculos peroneiro lateral longo, flexor comum dos dedos e flexor próprio do quinto dedo. Ocorre uma descontinuidade na impressão plantar na passagem do retropé para o antepé(PLATZER, 1987). Ocorre também a flexão do pododactilus.

Pé cavo-supinado-varo: alongar o tibial anterior, posterior e fibulares curto e longo.

Como corrigir: fortalecer a musculatura flexora dorsal do pé ( peroneiro anterior , extensor comum dos dedos, tibial anterior).

Exercícios: andar no bordo interno dos pés, flexão dorsal do pé, alongamento com o antepé apoiado no espaldar, andar para traz com o apoio dos calcanhares.




PÉ VALGO: É a projeção do calcâneo pra fora do corpo, fazendo com que o Tendão de Aquiles se projete para a parte interna do corpo. Segundo Platzer (1987), o maléolo lateral fica mais inferiorizado do que no pé reto fazendo a pronação( segundo BRICOT, 1999, a pronação favorece a rotação medial da tíbia, o que irá produzir repercussões em todo o membro inferior). Os tornozelos vistos por traz podem se tocar facilmente ainda que o bordo medial dos pés estejam afastados.
Consequências da pronação(HAMMER, 2003): A hiperpronação pode produzir tendinite de inserção do semimembranosos (faz a flexão de joelho e extensão de quadril). Observar a calosidade sob a cabeça do 1º metatarso devido a ação do fibular longo muito forte enquanto seu antagonista, o tibial anterior, está paralisado (corrigir: alongar fibular longo e curto e fortalecer o tibial anterior e posterior, para estimular a inversão (VILADOT, 2003).

Como corrigir: Fortalecer os músculos tríceps sural, tibial anterior e posterior e quadrado plantar(VILADOT, 2003).

Exercícios: Elevação do corpo na ponta dos pés, separando os calcanhares, andar no bordo externo do pé.




PÉ VARO: é a projeção do Tendão de Aquiles para a parte externa do corpo, fazendo com que o calcâneo se projete pra dentro.
Consequências da Supinação(JONES AND OWEN, 1996): Observar a calosidade sob a cabeça do 5º metatarso, devido a ação dos tibiais anteiror e posterior muito fortes enquanto os fibulares estão paralisados. Pode ocorrer a costa plana, retroversão do quadril e mau funcionamento do seguimento lombar.

Como corrigir: Fortalecer os músculos extensores comuns dos dedos e peroneiro anterior.

Exercícios: Andar no bordo interno dos pés, colocar uma fita passando pela planta dos pés a nível dos metatarsos. Fixar o lado interno do pé e puxar bem o lado externo.




PÉ ABDUTO: Quando o indivíduo anda com os pés pra fora da linha do corpo

Exercícios: Andar com os pés voltados para dentro da linha média do corpo.



PÉ ADUTO: Quando o indivíduo anda com os pés voltados para dentro da linha média do corpo.

Exercícios: Andar com as pontas dos pés voltadas para fora da linha média do corpo.



PÉ EQUINO: Causado pelo encurtamento do Tendão de Aquiles.

Como Corrigir: Só através de cirurgia.



PÉ CALCÂNEO: Causado pelo encurtamento do tendão do músculo Tibial Anterior.

Como corrigir: Só através de cirurgia

FASCITE PLANTAR:
Tipos: sistemica (artrite reumatóide); traumática (por aplicação de força intensa); degenerativa(trauma de repetição) e mecânica(pronação exagerada, súbito aumetno de atividade);
Causas: Para as degenerativas e mecânicas: pronação excessiva, grande solicitação da fáscia e dos músculos (abdutor do hálux, flexor curto dos dedos e quadrado plantar).
Achados: Dor à deambulação após período de imobilização e dor no calcâneo pela manhã
Conduta: curto prazo (anti-inflamatório, órtese e fixação do arco com esparadrapo; Longo prazo (alongar a fáscia plantar, fortalecer os músuclos intrínsecos e uso de talas noturnas).

(ANDREWS E MALONE,2000);

fonte: Revista Sprint julho/ago 2000
Fonte Atualização 2004: Apostila de curso do Prof. Sandro da Matta

0 comentários:

Postar um comentário